Ano Novo, Whiskey & Carnaval

Bom, cá estou de volta nesse espaço que tanto me acolheu e esta há tem tempo abandonado. Na verdade, havia ensaiado essa volta tantas vezes que não sei porque de agora acontecer. Foram tantas vezes que pensei em vim aqui e tantas não o fiz, seja por desânimo, seja por falta de foco (ou qualquer outro desculpa que eu posso pensar).

Enfim, se é algo que te faz bem, não deve ser impedido.

Sendo assim, em plena segunda-feira de carnaval, mantando  o resto (ou 2/3) da garrafa de whiskey, escutando a trilha sonora de Luke Cage (soulzinho de primeira). E isso é bom. Só escrevendo, sem nenhum objetivo ou profundidade (se é que já teve isso algum dia). Talvez esteja ai o ponto de virada, sempre quis voltar com algum tipo de planejamento e metas. Talvez esteja o grande problema... Vamos descobrir no futuro

Conflito.

E mesmo tendo sido um dia tranquilo (o que me lembra de ter deixado de ir no Bloco Pacato Cidadão, quem sabe ano que vem), foi um dia de reencontros (virtuais dessa vez) interessantes. Um que fez/faz repensar vários pontos da vida – o que trás uma conclusão que me assusta: beirando os 30 anos, sedentário (leia-se: criando barriga), sem posses, sem conquistas e sem objetivos. Momento para entrar em crise existencial? 

Acho que vou escrever enquanto tiver whiskey.

Talvez esse posto deveria ficar para após o carnaval, afinal é quando o ano inicia no Brasil (triste quem tenta se enganar com esse chavão), mas carnaval sempre me faz lembrar do verso de Chico Buarque: “Estou me guardando para quando o carnaval chegar”. Apesar de sempre encara-lo como algo positivo, o anuncio de novas possibilidades, etc, No fundo sei que ele é o oposto disso. É um verso covarde de alguém que espera adiar a mudança para o momento mais positivo.

Coisas interessantes que ouvi/disse (realmente não faz diferença para quem esta lendo) hoje: “foi muito legal (...) libertária... acho que meu espirito estava pedindo isso depois de tantos meses de calmaria...” e “não tenho tanta experiência na vida assim, mas uma coisa que aprendi foi: se minha opinião está fortemente baseada nas minhas opiniões e percepções, sempre é melhor guardar para mim.” – E o que significam essas frases? Nada! Mas tudo ao mesmo tempo - No fim tem coisas ai quem traz felicidade

No momento estou influenciado por alguns pensamentos:
- The Ultimate Beastmaster: me fazendo a pensar vida. Na verdade estilo de vida. Sair do sendentarismo por esporte...
- Oz: voltando para as profundezas da minha alma
- Projetos: já passou da hora de postergar os que importam
- Whiskey: descobrindo que posso gostar destilado...
Enfim, hora de finalizar e pensar em um bom título para este post (sempre me divertir com esta parte).

 ¡Hasta!

Música para o momento: 100 Days, 100 Nights -Sharon Jones & The Dap-Kings





“100 dias, 100 noites
Saber o coração de um homem
E um pouco mais
Antes de que ele saiba o seu próprio”


[Texto sem revisão. Desculpem. Se é que alguém vai ler isso. ]

Comentários

  1. Respostas
    1. Não, rsrs
      E vamos evitar por enquanto para não cair na tentação de edita-lo, rs

      Excluir

Postar um comentário

Fala aí o que você tá pensando..